O parto domiciliar é aquele realizado no conforto do lar. Geralmente realizados por parteiras e na presença da família. Mas até que ponto é seguro?

A comunidade médica é contra o procedimento domiciliar. O Conselho Federal de Medicina já publicou a recomendação do parto ser realizado somente em ambiente hospitalar , devido ao menor risco para a mãe e bebê. Vários estudos realizados na Europa demonstraram que o risco chega a ser 2,4 vezes maior de óbito do bebê do parto domiciliar quando comparado ao hospitalar.

O risco elevado seria decorrente da falta de monitorização do feto e da mãe : batimento fetal , ultrassom , assepsia … e o principal: na ocorrência de qualquer problema , a falta de intervenção do médico , ginecologista ou pediatra.

Vi alguns posts de mães que realizaram partos em casa e que foram hostilizadas por médicos ao procurarem serviço médico . A indignação dos profissionais às vezes não fica contida , pois a maioria acha que o risco não vale o benefício .

Nunca vi um filho de médico nascer em casa. Sabemos dos riscos e não queremos isso.

Em países europeus essa prática é comum , entretanto , os serviços médicos oferecidos à população são melhores e as condições de transporte até o hospital seguras. Em caso de complicações ( hemorragias , asfixia do bebê ) o atendimento rápido é fundamental.

Acredito que o hospital é que deva ser mais humanizado . A presença de acompanhantes durante o trabalho de parto , com acomodações individuais e mais confortáveis .Assim ninguém procuraria outro lugar ….

O parto domiciliar não é proibido no Brasil, mas o médico que optar por realizar este procedimento estará contra a recomendação do seu Conselho . Qualquer intercorrência com o feto ou a mãe será responsabilidade do profissional que realizou o parto e não dos pais.

Para aquelas que decidem um parto em casa , seguem algumas orientações :

– gestações de alto risco : diabetes , pressão alta , gemelaridade devem ser realizados no hospital. Somente as gestações de baixo risco são permitidas;

– o pré – natal deve ser feito normalmente ;

– tenha um plano B : se algo der errado , qual é quanto tempo irá demorar para chegar ao hospital?

– a episiotomia é um corte realizado no períneo, durante o parto , para evitar o sofrimento fetal e possíveis lacerações em caso do bebê ser maior do que a passagem do canal vaginas.Considerada uma violência obstétrica por alguns , é um procedimento que previne complicações .

– não deixe de levar a um pediatra em até dois dias de vida para uma avaliação.

O plano de parto é fundamental para que a mulher se sinta protegida e acolhida durante a gravidez até o momento do parto. É verdade que existem diversos procedimentos na medicina que não são naturais e, em alguns casos, desnecessários. Porém, em situações de emergência, eles podem ser fundamentais para o bem-estar da mãe e do bebê.

Fica a dica.

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s