Em toda farmácia sempre deve estar presente um farmacêutico. E ele pode prescrever medicação sim!

Texto extraído da página do Conselho Regional de Farmácia do Mato Grosso do Sul

Mas existem restrições :

As medicações de tarja vermelha , preta ou controlados são somente vendidos ( ou deveriam ) com receita médica . Neste bloco são englobados os antibióticos, por exemplo.O farmacêutico não pode atribuir um diagnóstico ,pois isto é um ato médico.O uso de antibióticos necessita do diagnóstico médico , fundamentado na história do paciente , exame físico e exames complementares quando necessário.

Ao prescrever , o farmacêutico deve deixar uma receita ao paciente , com nome , uso da medicação e carimbo com identificação , igual a do médico. Somente assim você estará protegido , pois em caso de qualquer complicação ou erro , ele poderá ser acionado judicialmente.

O que é proibido : balconista ou atendente indicar medicação . Tanto o médico quanto o farmacêutico possuem ensino superior e sabem das indicações e doses corretas das medicações. Já o atendente recebe apenas um curso rápido de alguns meses.

Muito se fala dos perigos da auto-medicação, mas uma pesquisa feita em 143 farmácias de todo país revelou uma realidade que pode ser ainda mais preocupante: 80% dos balconistas indicaram remédios aos clientes. O pior é que, sem noção dos efeitos das drogas, muitos indicam medicamentos que podem não funcionar ou até matar. O estudo foi coordenado pelo neurologista e especialista em dor de cabeça, Abouch Krymchantowski : 10 pesquisadores foram orientados a entrar nas farmácias relatando os sinais clássicos de uma enxaqueca: uma dor forte em apenas um lado da cabeça, incômodo com a luz, além de episódios de náuseas e vômitos. Nas 143 farmácias de várias cidades brasileiras visitadas, os supostos diagnósticos variaram desde excesso de exposição ao sol, falhas na visão, problemas no fígado até tumor no cérebro.Apenas em 20 % delas o paciente foi orientado a procurar um médico e não recebeu medicação.

Na Pediatria o problema é maior: as medicações são calculadas com base no peso e idade da criança . Muitas vezes até um médico não habituado pode administrar uma dose errada , quanto mais uma pessoa sem estudo na área.

A medicação receitada por um profissional é mais segura e o paciente deve entender isso. Resolver um problema de forma rápida muitas vezes pode gerar um transtorno .O pediatra cursa 6 anos de faculdade de medicina e depois cerca de 3 a 4 anos de especialização. O atendente não sabe das complicações que a sua indicação pode ter e não tem a responsabilidade legal sobre qualquer complicação posterior . A responsabilidade é do pai ou mãe que deu a medicação ao filho.

Não aceitem diagnósticos feitos de maneira irresponsável por atendentes ! Seria o mesmo que a sua vizinha indicar um xarope para tosse.Crianças são sensíveis : dose e medicação podem gerar consequências graves e até matar! Cerca de 30% dos casos atendidos pelo CEATOX são decorrentes problemas por medicações.

Remédio utilizado de forma errada vira veneno…

Fica a dica.

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s