A caxumba é uma infecção viral aguda, contagiosa. É uma virosa que ocorre primariamente no escolar e no adolescente, de evolução benigna na maioria dos casos .

Em um terço dos casos, a infecção não apresenta sintomas (assintomática) e adquire maior gravidade após adolescência e nos adultos , podendo causar perda de audição, aborto, infertilidade, meningite e pancreatite .

A caxumba é causada por vírus , o Paramyxovirus. A transmissão ocorre por via respiratória , através da disseminação de gotículas e por contato direto com saliva de pessoas infectadas. A doença tem um tempo de incubação por cerca de 15 a 21 dias antes do início dos primeiros sintomas .

Sintomas

O sintoma mais característico é o inchaço da região no ângulo da mandíbula , próximo a orelha , que ocorre em 70% dos casos. Este vírus  pode “atacar” a parótida ,por isso a caxumba também é chamada de “parotidite”. Como temos 2 glândulas parótidas, uma de cada lado, as pessoas podem ter a caxumba de um lado só ou dos dois.

Dói muito para mastigar. Isso porque a parótida é uma glândula salivar e está toda inflamada e há muitos gânglios no pescoço .

Febre , dores musculares , fadiga também acompanham a doença .Os seguintes sinais sugerem complicações da doença e exigem assistência médica imediata:

* dor e inchaço nos testículos (orquite) e na região dos ovários (ooforite);

* náuseas, vômitos, dor no abdômen superior (pancreatite);

* rigidez na nuca, dor de cabeça e prostração (meningite).

Em homens a caxumba pode evoluir para orquite , popularmente conhecida como a “caxumba que desceu”. Ocorre em 1 caso a cada 5 homens e apresenta sinais de dor testicular , sangramento na urina e edema .

Pode evoluir com infertilidade quando os dois testículos forem acometidos de forma importante. Mas isso é muito raro de acontecer.  Quando acontece, é mais comum que seja em apenas um testículo. O testículo bom funciona normalmente e neste caso não há risco de esterilidade.

Nas mulheres pode ocorrer mastite ( 15% dos casos ) ou ooforite ( inflamação dos ovários ).

Como evitar?

Existem duas vacinas: uma que vem junto com a do Sarampo e Rubéola (SCR), chamada de tríplice viral e outra que vem junto com a do Sarampo, Rubéola e Catapora (SCRV), chamada  de tetraviral. Ambas são eficientes. Nas crianças, a primeira dose deve ser dada com 1 ano de idade e um reforço entre 15 meses e 2 anos. Os adultos não vacinados – ou que não souberem se foram ou não vacinados- devem tomar 2 doses, com intervalo de 1 mês entre elas.

Quem teve caxumba , de um lado ou dos dois já está protegido . A imunidade é permanente.

Mesmo quem tomou a vacina pode evoluir com um quadro de caxumba . A vacina tem 85% de eficácia .

Tratamento

Repouso , beber muito líquido e não oferecer alimentos ácidos , pois podem levar a dor . Comida pastosa para facilitar a mastigação também facilita a aceitação alimentar.

Analgésicos e anti-inflamatórios e uma boa dose de carinho da mamãe .

Fica a dica .

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s