Quantas vezes você chegou no pronto-socorro com seu filho e, no meio de tantas crianças abatidas e com febre, encontrou outras que corriam pela sala de espera inteira e até gargalhavam? De fato, não são todas que precisavam estar lá, mas a ansiedade dos pais e até a dificuldade de falar com o pediatra são motivos que os levam a correr para o hospital mais próximo.

Consultas com pediatras em consultórios não são iguais às realizadas no pronto-socorro (PS). Porém, muitas mães têm simplesmente trocado atendimentos complexos pelas fortuitas idas à urgência e emergência.O tempo de consulta no PS é menor, diante de tantas crianças na espera. Nesse caso, o foco do médico é específico nos sintomas e dificilmente ele vai conseguir fazer uma avaliação completa, dos aspectos físicos aos neurológicos, de desenvolvimento, sociabilidade e aproveitamento escolar.

As salas de espera do pronto-socorro estão sempre lotadas, mas marcar uma consulta com um pediatra, seja através do convênio ou mesmo particular, é cada vez mais difícil.

“Os pacientes acabam indo para o PS porque não têm mais o pediatra ou não conseguem marcar as consultas. Perdeu-se a relação do pediatra com a criança, com consultas frequentes”, afirma o presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), Gilberto Pascolat.

7 em cada 10 consultas não são urgentes

Cerca de 70% dos casos levados ao Pronto Socorro pediátrico não necessitariam de atendimento urgente, segundo o pediatra Luiz Ernesto Pujol. O contato com crianças verdadeiramente doentes pode expor a criança sem doença a um ambiente contaminado, colocando-a em risco.Vale a pena?

A exposição das crianças a ambientes hospitalares pode ser prejudicial. Às vezes os pais vão expor a criança que já está com a imunidade baixa a outras doenças que podem ser mais graves do que a que a levou até o pronto-atendimento.Além disso, ir ao pronto-socorro em casos não emergenciais pode prejudicar crianças que necessitem de atendimento emergencial, devido ao aumento do tempo de espera.

Os pais devem estar atentos , pois os pacientes que procuram o pronto socorro na maioria das vezes estão com doenças contagiosas : meningites , pneumonias , gripe por H1N1 e conjuntivites . A exposição desnecessária das crianças representa um grande risco de contrair novas doenças . Quanto menor a criança , maior o risco , como é o caso dos recém nascidos e bebês.

Não são raros os casos de Hospitais que ficam ” fechados ” ( quarentena) devido à contaminação por superbactérias . São os agentes causadores da temida infecção hospitalar : microorganismos resistentes a maioria dos antibióticos,responsáveis por infecções graves .

No consultório o ambiente é mais arejado , com uma frequência de pacientes com menor gravidade e devido ao agendamento , o fluxo de crianças doentes é controlado pelo pediatra , reduzindo a exposição de quem está saudável.

Dicas para quem precisa ir ao hospital

1- Não leve a criança por queixas crônicas : tosse , dor abdominal , cefaleia , cólica . Sem não tiver sintoma de gravidade ( febre, vômitos , diarreia) , marque consulta com seu médico. Não espere uma consulta igual ao do consultório, no hospital se faz diagnóstico de gravidade ou não, com exames complementares se necessário. O médico não conhece a sua história do seu filho , e nem tem tempo para isso . A solução não estará em realizar um rx tórax ou fazer um hemograma.

2- Não vá na madrugada: nenhum médico se incomoda de atender uma urgência, afinal estamos lá para isso, mas somos seres humanos , o cansaço atinge a todos depois de mais de 6 hs de trabalho.Atender um recém nascido com queixa de constipação intestinal não será prioridade em relação a uma criança com vômitos.Se for necessário fazer algum exame , você irá passar a madrugada toda no hospital, pois eles levam em média 2 hs para ficarem prontos.A criança fica irritada devido ao cansaço e não há lugar para um descanso adequado.

3. Exames demoram: se houver necessidade de fazer algum exame de sangue , eles demoram em média 2 a 4 hs para se obter o resultado . Quanto mais pacientes , maior a demora. Pensando nisso , não vá solicitar um hemograma para controle de anemia …

4-Paciência: Você não terá um tratamento melhor ou mais rápido se gritar e maltratar os profissionais que estão lá para te atender.Seja educado, com certeza o atendimento será muito melhor. Já vi pais reclamarem da demora no atendimento enquanto estamos atendendo um caso de morte eminente.

5- Procure ir no meio da manhã ou da tarde. Fora do horário de pico , com equipe mais descansada.Os melhores horários são até as 11 hs no período da manhã e até as 17 hs no período da tarde .O número de pacientes em espera é menor e portanto a chance de você ou o seu filho contrair alguma doença também diminui .

6- Evite o horário de troca de plantão , 07:00 hs e 19:00hs.O médico devem passar para o outro plantonista todos os casos internados e que necessitam de reavaliação.O atendimento fica parado e a fila aumenta , principalmente as 19:00 hs. Neste momento muitos pais chegam do serviço e as crianças da escola , aumentando a procura por atendimento.

7 – Não leve os irmãos do paciente : o mesmo serve para avós , tios e outros familiares.O ambiente é contaminado, há risco de infecção por doenças respiratórias , conjuntivites, viroses. Geralmente a sala de atendimento é pequena e será necessário ficar somente o paciente e um responsável.Lembre-se :trata-se de uma urgência .

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s