Todo recém nascido recebe após a alta hospitalar uma receita com vitamina D para suplementação até 1 ano de idade .Mas por quê?

Além da formação esquelética do bebê, a vitamina atua na prevenção de doenças cardiovasculares, fortalece a imunidade e atua na formação pulmonar.

Surgiram tantas novas atuações que há quem acredite que a vitamina D seja mais do que uma vitamina, mas um hormônio.

A Sociedade Brasileira de Pediatria preconiza, além das brincadeiras ao ar livre ,a suplementação de 400 UI diárias para bebês de até 12 meses, e de 600 UI, para crianças de 12 a 24 meses. A recomendação serve para os bebês em aleitamento materno e artificial .

Recém-nascidos com baixos níveis de vitamina D têm seis vezes mais chances de ter infecção no pulmão, diz um estudo da Utrecht University Medical Center, na Holanda.Segundos os cientistas, a vitamina D protege o sistema respiratório dos bebês contra o vírus sincial respiratório, principal responsável por infecções pulmonares em crianças.

Leite materno não é suficiente?

O leite materno, apesar de todas as qualidades que tem, em relação à vitamina D é pobre. Dar a vitamina para os bebês é uma prevenção, uma profilaxia e vale mesmo para os bebês que recebem o leite de fórmula.

Na teoria , os banhos de sol deveriam assegurar a maior parte da produção, já que os raios solares sobre a pele promovem a produção de vitamina D . Quinze minutos de exposição, com braços e pernas descobertos, são suficientes. Entretanto, existem alguns obstáculos:

• o melhor horário para sintetizar a substância (entre 10 da manhã e 3 horas da tarde) também é o mais crítico para a ocorrência do câncer de pele ;

• os filtros solares reduzem a produção da vitamina por barrar a radiação solar;

• os bebês não fazem mais passeios ao ar livre como antigamente . Presos em casa devido à violência ou a falta de tempo dos pais , a exposição solar reduzida não produz vitamina suficiente.

Gestantes devem tomar ?

Alguns estudos sugerem que os filhos de mães com carência da vitamina D teriam maior probabilidade de desenvolver alergias e doenças respiratórias. Por isso, apesar de a suplementação na gravidez não ser unanimidade entre os especialistas, vale conversar com o obstetra e considerar essa possibilidade.

Por favor não esqueça da vitamina D!

Apesar da recomendação ser antiga , muitos pais deixam de administrar com o tempo e muitos colegas pediatras não prescrevem . Em toda carteirinha de vacinação existe a orientação sobre a importância da vitamina D , mas é raro alguma mãe fazer a leitura do material .

A dose da vitamina é fixa , ou seja , ela não aumenta com a idade ou com o peso e o Sistema Único de Saúde ( SUS ) fornece a vitamina D de forma gratuita no Brasil .

E as crianças maiores ?

Como muitas crianças não brincam ao ar livre , é comum os pediatras solicitarem a dosagem da vitamina D nos exames de rotina . Crianças com quadros respiratórios de repetição , principalmente as pneumonias , podem estar associada a deficiência desta vitamina .

Fica a dica

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s