A automedicação é um hábito brasileiro. Para evitar passar em consulta médica , por falta de tempo ou dinheiro , acabamos recorrendo ao modo mais fácil de resolver o problema : ” Toma um anti-inflamatório que passa “.

Mas quais são os perigos da ingestão excessiva desses remédios?

O uso frequente de anti-inflamatório interfere na ocorrência de gastrites, úlceras, problemas nos rins, fígado e coração, aumento da pressão arterial.Além disso, aumentam o risco de sangramentos e hemorragias quando usados por pessoas tratadas com anticoagulantes, ou pacientes com dengue.

Podem diminuir o efeito dos anti-hipertensivos (medicamentos para pressão alta). Em casos de cirurgias e fraturas, ou extrações de dente, podem prejudicar o processo de cicatrização/restauração.

O Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde recomenda que os AINEs sejam usados nas doses mais baixas, pelo mínimo tempo possível e necessário para aliviar inflamações , sempre de acordo com prescrição médica.

Quando usar?

A inflamação é um processo natural, benéfico e necessário para a defesa e a reparação do organismo, que deve ser interrompido somente quando necessário.Portanto , o combate à inflamação só é necessário quando sinais e sintomas, como inchaço e dor, são tão intensos a ponto de se tornarem desconfortáveis (inflamação no joelho ou inflamação de garganta, por exemplo).

O problema é que a pessoa quando está com dor acaba muitas vezes ignorando a quantidade e vai consumindo uma dose atrás da outra.

A dosagem máxima segura para o consumo de anti-inflamatórios vai depender do medicamento e da sensibilidade individual. Em algumas pessoas, um único comprimido de anti-inflamatório já pode provocar efeitos gástricos (gastrite com risco de sangramento).

Minha dica é evitar o uso . Mães costumam fazer uso de cetoprofeno e nimesulida quando a criança chora , para ” tirar alguma dorzinha” , mesmo sem apresentar nenhum sintoma mais sólido ou importante.

Lembrem-se também de que este tipo de medicação não serve para febre.

AAS e Nimesulida não!

o AAS tem o uso proibido na Pediatria como antitérmico ou anti-inflamatório. Já a nimesulida , possui indicação em bula , somente para crianças acima de 12 anos . Isso mesmo , eu sei que seu filho pequeno já fez uso , e não , não entre em pânico . Muitos colegas prescrevem para crianças menores de 1 ano , o que é inadmissível.

Não use na criança com febre

Muitas doenças se apresentam inicialmente com quadro de febre e medicar a criança com anti-inflamatório, para ” tirar a dorzinha ” não é uma boa escolha .

Quadros de dengue , catapora e até meningite , podem incialmente cursar somente com febre e se a criança fizer uso do anti-inflamatório, a doença pode evoluir de forma mais grave. No caso da dengue e meningite , pode predispor a sangramentos e na catapora , evoluir com uma forma fatal , a síndrome de Steven-Jhonson.

Por isso atenção ! Não use . Evite . Procure sempre um médico , principalmente no casos de crianças menores de 2 anos .

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s