A dor de crescimento existe sim, mas com algumas estratégias simples, podemos reduzir o incômodo nas crianças. Fique por dentro!

Estudos brasileiros acreditam que de 5% a 15% da população infantil enfrente o problema pelo menos uma vez na vida. O índice, já considerado alto, pode ser ainda maior. Pesquisas realizadas em universidades americanas chegam a apontar prevalências de até 40%.

Acontece por volta de 3 a 8 anos de idade , comum entre as crianças , está ligada justamente ao crescimento de músculos , tendões .Também existe a hipótese de que se trate de uma fadiga muscular, provocada pelo excesso de atividade física e de brincadeiras ao longo do dia, que pode ser agravada pelo estresse, comum em períodos de provas escolares ou de conflitos emocionais e familiares. Há, ainda, a desconfiança de que o sintoma seja hereditário, já que a maioria dos pais de crianças como problema também o encarou na infância.

Aonde dói?

A dor ocorre a noite , geralmente nas duas pernas , na região de coxa e joelhos. As crianças menores podem ter dificuldade em localizar a dor e referem dor em toda a perna .Cerca de 50% das crianças referem dor de cabeça associada à dor na perna.

Melhora no dia seguinte. A criança não acorda mancando e não se repete na noite seguinte. A dor do crescimento apresenta caráter esporádico , geralmente associado a um dia de atividades esportivas ou brincadeiras mais intensas.

Os pais devem lembrar que também é comum a presença de cãibras, o que também provoca dor na perna , mas diferente da dor do crescimento , a dor da cãibra ocorre em uma perna e é bem localizada.

Quais doenças podem ser confundidas com a dor do crescimento?

É possível confundir os sintomas com os da fibromialgia, uma doença caracterizada por dor generalizada, que, em 20% dos casos, começa a se manifestar antes dos 8 anos. Ou da síndrome da hipermobilidade articular, que surge em crianças com maior frouxidão dos ligamentos, após atividades como balé ou ginástica olímpica, que são capazes de sobrecarregar músculos e tendões.

O que eu faço ?

O tratamento será na forma de massagens e bolsa de água morna no local .Uma pesquisa feita pelo Hospital das Clínicas de São Paulo revelou que o acolhimento é eficaz em 80% dos casos : tranquilizar a criança e fazer uma massagem com uma boa conversa , resolve .

A dor do crescimento ocorre 1 vez por semana e durante um ano. Para prevenir crises mais frequentes , podem ser realizados exercícios de alongamento .

Crianças sedentárias que fazem atividade física eventual podem se beneficiar da prática de esportes para reduzir a frequência dos episódios.

Fica a dica .

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s