Quantas mães não ficam em dúvida na seção de leite do supermercado? Ao avaliar as marcas disponíveis, em algumas latas o rótulo destaca que o produto é fonte de cálcio, ferro e zinco, além de conter um “mix” de vitaminas. Parece uma boa opção para crianças, certo?

Com tantas opções , resta a dúvida :

Qual a diferença entre o leite em pó e o composto lácteo ?

Leite em pó

Leite em pó é o produto obtido por desidratação do leite de vaca integral, desnatado ou parcialmente desnatado e apto para alimentação humana. É um produto natural, composto por água, gordura, vitaminas, proteínas, enzimas e lactose e tem o cálcio mais biodisponível.

Composto lácteo

Recomendado para consumo a partir de 1 ano até a criança completar 5 anos, o composto lácteo surgiu como uma alternativa ao leite de vaca, sendo um produto modificado em suas características, com o objetivo de adequar quantidades de nutrientes.

É composto de leite (que deve ser no mínimo de 51%), óleos vegetais ( no lugar da gordura animal ) e prébióticos. É um produto cheio de suplementos vitamínicos e AÇÚCAR! O composto lácteo possui xarope de milho , para aumentar a palatabilidade , mas com isso oferece uma grande oferta calórica :

NUTRITIVO OU DESNECESSÁRIO?

As propagandas dos compostos lácteos os promovem como um alimento nutritivo, que ajudaria no desenvolvimento e aprendizado das crianças. No entanto, se a criança tiver uma alimentação saudável, ela não precisa de nada disso. Não é preciso comprar produto industrializado, um ‘superalimento’. Pois , quanto mais natural a alimentação, melhor será para a criança.

O composto lácteo é um produto ultraprocessado, uma formulação criada pela indústria com ingredientes que não são adequados para crianças, como o açúcar, que não é recomendado até os 2 anos de idade. Devemos priorizar os alimentos de verdade.

Muito açúcar !

As instruções de uso do produto sugerem que ele seja oferecido de duas a três vezes por dia, mas atenção! O alto teor calórico pode contribuir para a obesidade infantil. Caso seja erroneamente oferecido para crianças menores de 1 ano, a bomba calórica é ainda maior. Considerando as informações nutricionais de um composto lácteo de uma marca famosa, em apenas 100 ml do produto diluído, um bebê de 7 a 12 meses ingere mais da metade do consumo energético recomendado para um dia todo.

Lembrando que crianças menores de um ano NÃO DEVEM tomar esses compostos lácteos.Exemplos: Neslac (Nestlé), Ninho Fases (Nestlé), Efagrow (Mead Johnson), Milnutri (Danone), Ideal (Nestlé).

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s