Dente nascendo , trabalho dobrado para a mãe : chora , não come , da febre , da diarréia , vômito , tosse , dor de barriga … opa ! Nem tanto assim.

Muito sintomas estão ligados com o nascimento dos dentinhos , mas uma grande parte atribuída a eles não . Hoje vamos esclarecer alguns pontos e tentar amenizar os sintomas . Tem coisa nova no tratamento da dor .

Quando nascem os dentes

Os primeiros dentes surgem a partir dos 6 meses em média . Em alguns casos raros , podem aparecer a partir de 4 meses. Vamos lá :

Dentes incisivos inferiores: Entre os 5 e os 12 meses.

•Dentes incisivos superiores: Entre os 7 e os 10 meses.

•Dentes laterais superiores e inferiores: Entre os 9 e os 12 meses

•Primeiros molares superiores e inferiores: Entre os 12 e os 18 meses.

•Caninos superiores e inferiores: Entre os 18 e os 24 meses.

•Segundos molares inferiores e superiores: Entre os 24 e os 30 meses.

Quanto dente não é mesmo? Se você avaliar , o surgimento dos dentes afeta as crianças de 6 até 2 anos e meio . Mas afinal , o que esperar durante essa fase?

Sintomas

Os sintomas mais comuns são : a salivação excessiva a partir dos 3 meses , gengiva inchada e dolorida ao toque , irritabilidade e, febre e redução do apetite. Os pais se esquecem que a dor na boca incomoda muito , principalmente na mastigação de alimentos quentes , como no almoço e jantar . Não adianta forçar a alimentação ou dar vitamina para abrir o apetite.

A febre geralmente está abaixo de 38 graus e com intervalos de 8 a 12 horas. Ela ocorre devido ao processo inflamatório da gengiva , por isso muitos pais se queixam da ” cabeça quente ” do bebê . Sempre verifique a temperatura , para evitar insumo desnecessário de medicação.

O ato que colocar as mãos e qualquer objeto na boca faz parte do desenvolvimento neurológico , sendo quase um reflexo nos primeiros meses . Na dentição , a criança procura o coçar a gengiva , mas ao mesmo tempo , essa ação pode provocar dor , principalmente se o objeto for duro.

Como as mãozinhas nem sempre estão limpinhas , pode surgir diarréias e infecções de garganta ou viroses com maior frequência . Por isso a maioria dos pais associa dente com diarréia e todo pediatra adora negar que isso aconteça.

O segundo fator é que a maioria das crianças na faixa de 6 meses a 1 ano inicia a alimentação , e às vezes certos alimentos podem levar a quadros gastrointestinais .

E a terceiro fator é que grande parte destas crianças irá para creche pela primeira vez , o que gera um maior número de infecções , devido a imaturidade do sistema imunológico.

Estes 3 fatores confundem a cabeça dos pais quando o pediatra nega que dente pode dar diarréia por exemplo. Uma parte do desenvolvimento normal da criança com certeza não iria causar tamanho prejuízo ao corpo do bebê . Os pais devem estar atentos e não deduzir que um quadro clínico está ligado a erupção dentária . Muitas vezes são outras doenças associadas .

Como o apetite nesta fase está reduzido , há uma queda da imunidade , facilitando o surgimento de infecções de repetição . Para evitar isso , procure oferecer suco e frutas naturais e uma boa hidratação.

O que fazer?

O bom e velho mordedor ajuda bastante . Ele evoluiu e agora pode ser levado a geladeira , para dar um alívio geladinho na gengiva machucada. São tantos formatos que dá para escolher!

Podem ser oferecidas frutas ou legumes , seguindo a técnica do BLW , aonde as crianças manipulam os alimentos com as mãos . Assim as gengivas são massageadas , diminuindo o desconforto e proporcionam o nascimento mais rápido dos dentes.

Outra técnica é oferecer alimentos mais frios e pastosos . Os bebês em aleitamento materno podem usufruir do tetolé : picolé de leite materno.

Ele promove um alívio para os dias mais quentes , além de ser de fácil aceitação pela criança . Mas tenha cuidado na manipulação do leite , fazendo uma boa higiene das mãos e dos recipientes .

Com relação a medicação , a camomila é um santo alívio , pois melhora a qualidade do sono , humor e ainda ajuda na inflamação da gengiva sem efeitos colaterais . Veja que a erupção dentária é um processo normal do desenvolvimento e anônima doença . Evite utilizar anti-inflamatório ou analgésicos . Eu indico o uso somente em alguns casos .

O mesmo serve para as pomadas anestésicas . Elas proporcionam um alívio imediato e passageiro , mas trazem alguns efeitos colaterais , como a redução da sensibilidade da garganta , provocando engasgos mais importantes na criança .

Tenha paciência , é uma fase passageira é tão importante no desenvolvimento da criança . Se ela estiver com muitos sintomas ou com infecções frequentes ( gripes , resfriados , viroses) quentão reduzir a frequência na escola ?

Fica a dica.

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s