A masturbação na infância é um assunto complicado e cheio de tabus . O texto foi um dos mais complexos que já fiz , porque não há muito material para pesquisa. Mas , ao contrário do que você pensa , é uma prática muito comum . E deixa muita mãe e pai de cabelo em pé , sem saber como agir .

Podemos dividir a infância em 3 grandes blocos , para analisar psicologicamente , como ela interage em cada etapa da sua vida :

Primeiros anos : Aos 3 e 4 anos a criança percebe a existência das partes que formam todo a sua estrutura corporal, a cabeça, o tronco, os membros e descobrem os órgãos genitais. Nesta fase de autodescoberta , algumas crianças começam a manipular os órgãos genitais e sentem prazer no toque . Ato puramente mecânico , sem nenhuma conotação sexual.

Idade de socialização : Aos 6 e 7 anos essa experiência de autodescoberta diminui e a criança passa a investir suas energias para descobrir a existência do outro, dos amigos . A energia que estava voltada para ela, agora será direcionada para o mundo a sua volta. Assim, ela vai aprendendo a construir essa relação com o que está fora dela, as pessoas, os animais, as letras, números e formas de se comunicar com essa nova realidade. É uma fase de latência , a criança que se masturbava , diminui ou pára , pois encontra prazer em outras atividades sociais .

Adolescência: Por volta dos 11 e 12 anos, surge a puberdade com uma explosão de hormônios. A voz muda, os pelos surgem, o corpo se transforma e, de novo, as crianças voltam sua energia para si mesmas e toda a atenção se volta novamente para a sexualidade. Agora a masturbação está associada ao sexo .

É normal mas nem todos passam por esta fase

Quando as crianças iniciam a manipulação dos genitais , aos 4 anos , os pais não sabem como proceder , principalmente quando acontece com as meninas. E não há muita informação , mas sobra preocupação : ” o que eu faço?” / ” é normal ?” / ” aprendeu onde ?” e preconceito ( ” imagina , isso não é coisa de criança “!).

Essa preocupação será uma experiência diferente em cada família , pois vários fatores tem influência sobre o assunto . Depende da nossa criação , da nossa forma em ver a sexualidade . Mas veja , na criança isso é um processo normal do desenvolvimento , uma auto descoberta do próprio corpo .Não há nenhuma conotação sexual .

Realmente assusta . Mas faz parte do desenvolvimento normal da criança . O menino ou a menina que se masturba , pode ter uma sensação semelhante ao orgasmo , sem ejaculação .

Essa relação com o corpo persiste até a pré-adolescência, quando meninos e meninas, com as sensações mais apuradas, já vêem a masturbação como fonte de prazer sexual.

E quando a criança faz na sala , na escola …

Nosso desafio diante da masturbação infantil é o de ajudar as crianças na compreensão de que as partes que ficam escondidas do nosso corpo com a calcinha, cueca, sutiã ou roupa de banho, são partes que ninguém vê ou toca, além da gente mesmo. Explorar o próprio corpo, tocar e perceber as regiões prazerosas que existem nele é muito valioso para se conhecer e crescer de uma maneira saudável. Mas, que precisamos cuidar para que isso aconteça no banheiro ou no quarto quando estiver em um lugar privado, longe da presença de outras pessoas e não na escola ou na sala de casa.

Se reprimir as crianças atrapalha seu desenvolvimento sexual, deixar que se masturbem em qualquer lugar cria problemas para todos.

Devemos ensinar a questão da privacidade: explique que certas coisas são feitas somente em lugares privados , como fazer xixi – ninguém faz na rua ou no chão – e que o ato dela se tocar também deve ser feito no quarto, em lugar privado, sem outras pessoas perto.

Tente agir com normalidade.Afinal a criança não entende como uma coisa libidinosa ou ruim , pois o que esses meninos e meninas precisam entender é que o pênis e a vulva são partes do corpo para serem lidados quando eles estiverem sozinhos. Esse recado ajuda as crianças a irem percebendo que o corpo é exclusividade delas. Dessa forma, os pais estão trabalhando, inclusive, a prevenção de abusos .

Em momentos de descanso, na hora de assistir TV ou antes de dormir, pode ser que as crianças usem da masturbação para colocar a mãozinha lá onde elas gostam para relaxar ainda mais. Se isso virou um hábito freqüente e acontece excessivas vezes ao longo do dia, podemos auxiliar as crianças a ampliar o leque de possibilidades de sentir prazer de outras formas como, por exemplo, fazendo cafuné no próprio cabelo, lendo algo que goste ou ouvindo uma música .

Recriminar pode ser desastroso, pois é possível que o garoto ou a garota acabe por misturar sentimento de prazer e satisfação com complexo de culpa.

O que fazer?

Caso esteja acontecendo em excesso , pode ser um sinal de ansiedade . A criança com algum problema mal resolvido , na escola ou em casa , pode se masturbar como forma de obter prazer e relaxamento , pois não tem outro meio de extravasar esse sentimento. Neste caso , procure manter um canal de comunicação fácil com o seu filho e se necessário procure um pediatra.

Dica : Desvie a atenção dessas crianças para os prazeres da escola, como pintar, tocar um instrumento, brincar, correr, dançar e jogar. Valorize a imagem e melhore a auto-estima delas, elogiando suas tarefas e dando-lhe atenção , pois isso reduz a necessidade de procurar a masturbação como forma de relaxamento.

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s