” Doutora , eu passei na farmácia e o rapaz me mandou eu tomar ..” Quem nunca fez isso atire a primeira pedra . É muito comum e já virou um hábito do brasileiro tentar resolver qualquer problema de saúde por conta própria.

Tomar remédio por conta própria pode agravar um problema de saúde ou desencadear outras doenças devido aos efeitos colaterais. A automedicação deve ser evitada .

Mas e o farmacêutico ? Não pode receitar?

Sim! O farmacêutico poderá realizar a prescrição de medicamentos e outros produtos com finalidade terapêutica, cuja dispensação não exija prescrição médica, ou seja , somente medicações SEM tarja .

A prescrição farmacêutica ( é obrigatória a receita do farmacêutica também !) deverá ser redigida por extenso, de modo legível, observados a nomenclatura e o sistema de pesos e medidas oficiais, sem emendas ou rasuras, devendo conter os seguintes componentes mínimos:

a)      identificação do estabelecimento farmacêutico, consultório ou do serviço de saúde ao qual o farmacêutico está vinculado;

b)       nome completo e contato do paciente;

c)      descrição da terapia farmacológica.

Mas ele me passou um antibiótico tão bom…

As medicações de tarja vermelha , preta ou controlados são somente vendidos ( ou deveriam ) com receita médica . Neste bloco são englobados os antibióticos, por exemplo.

O farmacêutico não pode atribuir um diagnóstico ,pois isto é um ato médico. Nenhum profissional , além do médico , pode diagnosticar uma infecção de garganta ou de ouvido e prescrever medicação .

E se o farmacêutico prescrever?

O profissional que prescrever medicação controlada está sujeito ao enquadramento segundo o Código de Ética, com penalidade prevista pela Resolução do CFF n° 461/07 de advertência, multa ou suspensão da atividade profissional de três a 12 meses, por inorbservar os acórdãos e as resoluções do CFF e dos CRF’s.

O farmacêutico pode acrescentar ou retirar medicamentos prescritos por outros profissionais?

Não vedado ao farmacêutico modificar a prescrição de medicamentos do paciente, emitida por outro prescritor, salvo quando previsto em acordo de colaboração, sendo que, neste caso, a modificação, acompanhada da justificativa correspondente, deverá ser comunicada ao outro prescritor.

Tomar remédio por conta própria prejudica o diagnóstico precoce da doença real. Você pode ingerir uma medicação comprada sem prescrição médica para combater sintomas semelhantes aos de uma virose quando, na verdade, existe um processo infeccioso que se agrava a cada dia. Por esta razão, o ideal é fazer a consulta e os exames médicos para obter o diagnóstico preciso e, com isso, passar a tomar a medicação correta.

A automedicação, em geral, já é um risco à saúde. Imagine, então, as consequências do uso de antibióticos sem receita médica. Este tipo de remédio só deve ser tomado por indicação médica e na forma especificada na receita, com relação à dosagem e aos horários. O uso aleatório de antibiótico favorece o desenvolvimento de superbactérias e vírus resistentes a várias medicações.

E nunca , nunca medique seu filho sem a consulta com o pediatra! As doses são calculadas pelo peso , idade e são muito variáveis . A incidência de intoxicação é muito alta e a responsabilidade será inteiramente dos pais .

Não carregue esta culpa .

Fica a dica.

Anúncios

Escrito por Dra Fernanda Naka

Pediatra

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s