Prisão de ventre em crianças pode resultam em sérias complicações

A constipação intestinal é a dificuldade em evacuar , com saída de fezes endurecidas , na forma de “bolinhas ” (cíbalas) ou grandes e cilíndricas. Em enquete realizada feita por uma revista brasileira , 68% dos leitores afirmaram que os filhos sofrem sempre com o intestino preso e 27% apresentam problemas esporadicamente. Apenas 5% disseram que as crianças nunca têm dificuldades para fazer cocô.

A constipação pode ser caracterizada pela evacuação inferior a 3 vezes por semana ou pela ocorrência de evacuação dolorosa , com fezes eliminadas após esforço , acompanhadas por choro.

Por que devemos tratar o intestino preso ?

A constipação é mais frequente nas meninas e pode provocar uma série de problemas a longo prazo . As queixas mais comum entre as crianças estão a dor abdominal e a falta de apetite.

Dor e sangramento anal

Para segurar o cocô, as crianças contraem as nádegas, fecham as pernas, escondem-se em cantos da casa ou apoiam-se em móveis. Eventualmente, o desejo de defecar passa. O comportamento dá início a um ciclo vicioso, no qual quantidades cada vez mais volumosas de fezes são retidas no intestino. Aí, a evacuação seguinte causa desconforto ou dor, reforçando a atitude de retenção.

A passagem das fezes volumosas e endurecidas machucam o orifício anal , que é muito vascularizado , podendo evoluir com sangramentos – saída de sangue vivo – logo após a defecação .

Escape fecal

Aos poucos, o conteúdo acumulado de fezes agride o intestino que, em resposta, produz um liquido ao redor das fezes, configurando o chamado escape fecal ou soiling. Aí vêm as manchas na roupa, o mau cheiro, o constrangimento e o bullying na escola, além de agravar a própria prisão de ventre.

Prolapso retal

O prolapso retal infantil acontece quando o reto ( parte do intestino ) sai para fora do ânus, podendo ser visualizado como um tecido vermelho, úmido e em forma de tubo. É mais comum em crianças até 4 anos devido ao fato dos músculos e ligamentos que sustentam a parte final do intestino, estarem em formação e não fortemente fixos à parede abdominal.

Doloroso e assustador , quando isso acontece , o médico reintroduz a parte do intestino manualmente através do orifício anal.

O que fazer ?

Para romper esse ciclo é fundamental algumas mudanças de hábitos:

•Aumentar atividades físicas- caminhar, subir escadas, correr, pular corda, andar de bicicleta.

• Levar a criança ao banheiro  5 minutos após as principais refeições para aproveitar o reflexo gastrocólico que estimula a evacuação.Levar mesmo que a vontade de evacuar não apareça.

• Deixar a criança sentada no vaso, durante 10 minutos com os pés apoiados( se precisar, colocar um banquinho),  para que ela consiga fazer a pressão abdominal e ajudar na evacuação.

E laxante , pode usar ?

Não é indicado o uso de laxantes . São substâncias agressivas e que a longo prazo estão associadas a vários problemas de saúde , como câncer de intestino.

O supositório de glicerina não é considerado um laxante . Ele apenas estimula a região anal a eliminar as fezes na porção mais distal do intestino , chamado de reto.

Existem medicações a base de fibras solúveis , inclusive na forma líquida , mais eficiente e sem efeito colateral . Um bom exemplo é o Tamarine kids – medicação a base de fibras – mas que necessita de uma boa ingesta de água para ter o efeito desejado .

Fica a dica .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s