Leite materno protege bebês contra Covid

O leite materno pode transmitir o coronavírus, assim como ocorre com outras infecções? Essa foi uma das principais questões entre os pediatras para recomendar ou não , a amamentação em tempos de coronavírus.

E hoje com uma dupla alegria , venho compartilhar um texto com vocês, mostrando que o aleitamento é seguro e está sendo amplamente estudado na minha faculdade do coração , pela qual eu me formei e fiz a minha residência em pediatria.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina do ABC estudaram cerca de 200 mães e comprovaram que o aleitamento é seguro e protege o bebê contra o novo coronavírus.

O estudo foi publicado recentemente em uma das mais importantes revistas internacionais do mundo que tratam sobre amamentação, a Journal of Human Lactation.

Foram acompanhadas gestantes que contraíram o vírus para avaliar o impacto da infecção por Covid-19 na gestação, na saúde materna, no recém-nascido e nas práticas de aleitamento materno. 

Os primeiros achados do estudo atestam que o leite materno transmite proteção contra a doença, não tendo sido diagnosticado a infecção ou mesmo qualquer um dos seus sintomas em nenhuma das crianças, que seguem sendo acompanhadas até os 2 anos. Para os pesquisadores, o leite materno poderia ser usado como terapia contra o Sars -cov 2.

Das amostras doadas por mulheres que haviam sido infectadas, todas registraram resposta positiva para um anticorpo chamado imunoglobulina A. Para os especialistas, esse anticorpo é altamente resistente à degradação o que tornaria possível a sua purificação e utilização no tratamento da covid-19.

Entre as mães acompanhadas na pesquisa, 35% já transmitiam a imunoglobulina nas primeiras horas após o parto, com a descida do colostro, o primeiro leite.

O uso dos anticorpos em pacientes com complicações da doença parte de um princípio parecido com a imunização pelo uso de plasma sanguíneo : consiste em usar os anticorpos produzidos por outra pessoa como auxílio no tratamento .

Este é um dos primeiros relatos de caso no mundo que descrevem a presença precoce (no primeiro dia da amamentação) de anticorpos protetores contra a Covid-19 no leite materno.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde do Brasil e Sociedade Brasileira de Pediatria é manter o aleitamento materno desde a sala de parto, no alojamento conjunto, Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN), enfim, em todos os setores da maternidade.

A amamentação deve ser mantida. A mãe suspeita ou com diagnóstico de COVID- 19 pode amamentar se estiver em bom estado geral, se quiser amamentar, tomando alguns cuidados higiênicos e seguindo algumas recomendações, como a seguir:

• Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;

• A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada;

• Lavar com frequência as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora). Se não for possível, higienize as mãos com álcool em gel 70%; 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s