Leite materno protege bebês contra Covid

O leite materno pode transmitir o coronavírus, assim como ocorre com outras infecções? Essa foi uma das principais questões entre os pediatras para recomendar ou não , a amamentação em tempos de coronavírus.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina do ABC estudaram cerca de 200 mães e comprovaram que o aleitamento é seguro e protege o bebê contra o novo coronavírus. Viu que notícia boa ?

O estudo foi publicado recentemente em uma das mais importantes revistas internacionais do mundo que tratam sobre amamentação, a Journal of Human Lactation.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde do Brasil e Sociedade Brasileira de Pediatria é manter o aleitamento materno desde a sala de parto, no alojamento conjunto, Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN), enfim, em todos os setores da maternidade.

PEGUEI COVID , DEVO AMAMENTAR ?

A amamentação deve ser mantida. A mãe suspeita ou com diagnóstico de COVID- 19 pode amamentar se estiver em bom estado geral, se quiser amamentar, tomando alguns cuidados higiênicos e seguindo algumas recomendações, como a seguir:

• Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;

É possível afirmar que a Covid-19 não é transmitida por meio da amamentação  nem durante a gestação

• A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada;

• Lavar com frequência as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora). Se não for possível, higienize as mãos com álcool em gel 70%; 

ESTOU TOMANDO MEDICAÇÃO, POSSO AMAMENTAR ?

Não há protocolo definido pelo Ministério da Saúde quanto ao tratamento para pacientes com Covid . então , selecionei algumas das medicações mais usadas ( mas não são necessariamente as mais indicadas ):

• cloroquina ou hidroxicloroquina: possuiem baixa passagem no leite e estudos não demonstraram efeitos adversos nos lactentes.

• azitromicina : pode levar a alguns efeitos gastrointestinais como diarreia e candidíase, mas é considerada segura durante amamentação.

• ivermectina não possui muitos estudos sobre seu uso durante amamentação, mas também é pouco excretada no leite sendo considerada provavelmente segura .

• favipiravir : medicação antiviral ,não tem informação suficiente para avaliar sua segurança, mas sabe-se que pode levar a aumento de enzimas hepáticas e de ácido úrico, então quando utilizado devemos dosar esses exames nos lactentes.

• oseltamivir, utilizado para tratamento de Influenza A e B, é considerado seguro e seu uso é aprovado .

• lopinavir não apresentou nos estudos efeitos adversos nas crianças após uso materno, assim como o remdesevir, mas para esta última os estudos são escassos.

• ribavirina, que é utilizada por lactentes infectados por vírus sincicial respiratório possui seu uso compatível com a amamentação desde que utilizada por curto período.

• dexametasona na amamentação, sabe-se que pode levar a redução da prolactina e consequentemente diminuição da produção de leite, mas seu uso por curto período não demonstra nos bebês efeitos adversos. E a metilprednisolona, já bem estudada, possui baixa concentração no leite materno e sem evidência de riscos às crianças.

• tocolizumabe (anticorpo monoclonal) e os interferon-alfa e beta (citocinas antivirais e com ação imunomoduladora) são considerados seguros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s